Mamoplastia

A ação da gravidade, as variações de peso, as alterações de volume mamário durante a gravidez, a perda de volume glandular com a idade e o relaxamento dos tecidos e dos ligamentos suspensores da mama, fazem com que a mama apresente uma queda de posicionamento e também flacidez, perdendo gradualmente a sua beleza.

Mamas com bom volume podem ser reposicionadas (mastopexia). Mamas pequenas podem ser aumentadas com o auxilio de próteses (mastopexia com prótese). Por fim, mamas grandes podem ser reduzidas e reposicionadas (mamoplastia redutora). Em todas as cirurgias, o excesso de pele é retirado, e a cicatriz resultante dependerá da forma em que a mama se encontra e na quantidade de pele a ser retirada.

A situação mais comumente observada em pacientes com redução acentuada do peso, é a migração da aréola inferiormente, acompanhando a queda da mama (ptose mamária).

Durante a consulta é possível expor as possibilidades de reparação, pois são muitas as técnicas disponíveis, cada uma com algumas vantagens e/ou limitações frente as outras. Os desejos da paciente, a avaliação profissional e o bom senso nos guiam para a escolha da técnica ideal, promovendo melhores resultados.